fbpx
Escolha uma Página
Vendas na web: saiba como divulgar no Google e aumentar o faturamento

Vendas na web: saiba como divulgar no Google e aumentar o faturamento

É inegável o poder de marketing digital que emana do Google. As técnicas de SEO, o marketing de conteúdo, os critérios de ranqueamento e formas de mídia paga, além das dezenas de ferramentas gratuitas que a empresa fornece, demonstram que, qualquer que seja a campanha pensada, é preciso também saber como divulgar no Google e utilizar suas ferramentas para melhorar a própria performance.

Assim sendo, trouxemos neste artigo as principais ferramentas que a empresa disponibiliza e quais são os tipos de anúncio possíveis. Confira!

Conheça as principais ferramentas do Google

Google AdWords

Uma das principais ferramentas é o Google Adwords ou também chamado de Google Ads. Essa a plataforma de gerenciamento de anúncios da empresa. É nela que se cria e executa os anúncios nas diversas modalidades que existem, assim como os gerencia. O Google Adwords é bastante intuitivo e fácil de usar, mas alcança o verdadeiro potencial quando aliado a uma campanha bem estrutura.

Google Meu Negócio

Para quem quer aparecer na internet, o Google Meu Negócio é essencial. Essa ferramente é voltada especialmente para os comércios locais e permite às empresas gerenciar como aparecem nas buscas. Funciona via cadastro e é possível incluir diversas informações, assim como receber notas e comentários de clientes. Muito útil como forma de integração online e offline da sua empresa!

Google Analytics

A mais famosa e útil das ferramentas do Google para negócios é o Google Analytics, que fornece diversas métricas e dados comparativos entre o site da sua marca e outros sites. O Analytics também ajuda a otimizar sua página, informando sobre links quebrados, problemas para aparecer nas buscas, dados de taxa de rejeição, tempo de permanência médio e outros relevantes indicadores.

Saiba mais sobre os tipos de anúncios do Google

Links patrocinados

Um dos jeitos de aparecer primeiro nas pesquisas do Google são anúncios pagos. Você já deve ter visto, ao procurar uma informação, dois ou três links com a tag de anúncio patrocinado. Esse tipo de anúncio é feito por meio do Google Adwords e pode ser muito recompensador.

Porém, é preciso tomar certos cuidados ao usá-lo, pois o Google usa o sistema de leilão pelos termos chaves para ranquear os links patrocinados. Além disso, sempre bom lembrar que a preocupação principal do Google é com a experiência do usuário e não a mídia paga. Assim, continua sendo importante investir em um bom site que ajude a melhorar as vendas.

Rede de display

A rede de display do Google são banners que aparecem em diferentes sites, promovendo os produtos e serviços. São anúncios com imagens, informações e/ou infográficos que devem ser atrativos e levar o consumidor a clicá-los. A Rede de display do Google pode precisar de uma atenção especial e profissional para ser bem utilizada.

Youtube

O Youtube é um dos sites com maior consumo de produtos do mundo, quais seja, as mídias nele hospedadas. São diversos tipos de anúncio, como os vídeos patrocinados antes, durante ou depois da mídia principal, os bumpers que são videos de 5 segundos executados antes do vídeo principal, as caixas de display sobrepostas, os banners na parte inferior da tela, entre outros. Cada qual pode ser otimizada para um diferente uso.

Aprender como divulgar no Google é essencial para o sucesso de qualquer campanha de marketing digital. Essa gigante da comunicação ajuda muito os empreendedores e facilita os processos com as ferramentas que desenvolve, facilitando as ações digitais.

É cada vez mais fácil investir em marketing. Quer ver? Então descubra também como planejar o orçamento e investir melhor na publicidade!


Clique aqui e receba uma avaliação GRATUITA da comunicação da sua empresa.

3 dicas para divulgar um produto e promover boa experiência ao cliente

3 dicas para divulgar um produto e promover boa experiência ao cliente

O que leva um consumidor escolher um produto ou serviço? Essa é a grande pergunta de todos os empresários, empreendedores e profissionais liberais e é por causa dela que o marketing existe. No entanto, não existe uma fórmula mágica ou estratégia única que possa respondê-la. O que existe é pesquisa, planejamento e execução em como divulgar um produto e atrair o cliente.

O momento contemporâneo, por si, também diz muito sobre a imensa gama de possibilidades de divulgação. A evolução das tecnologias de comunicação deram um salto nas estratégias possíveis de marketing, que se dividiram entre o tradicional e o digital. No entanto, cada vez mais, essas duas formas também estão se interconectando. A diferença entre o real e o virtual, para a percepção do cliente, fica cada vez mais tênue.

Soma-se a isso o mercado cada vez mais acirrado, os investimentos pesados dos nichos e as diversas possibilidades geradas de marketing e pode-se perceber, sem sombra de dúvidas, o desafio que se apresenta para promover um produto e uma boa experiência ao cliente com um plano de divulgação assertivo.

Pensando nisso, elaboramos este artigo com excelentes dicas para atrair os consumidores. Confira!

1. Conheça seu público-alvo (e se apresente a ele)

A primeira regra da divulgação de um produto é que não adianta mostrá-lo a quem não tem potencial para se interessar por ele. Afinal, é apenas perda de recurso investir em apresentar artigos esportivos de alto rendimento a um público geek clássico, por exemplo. Assim, é preciso conhecer o público-alvo e obter informações sobre gênero, faixa etária, nível sócio-econômico, hábitos e interesses, por exemplo.

É importante conhecer o público-alvo pois é preciso se apresentar a ele. O direcionamento da divulgação para pessoas que já têm o potencial de interesse facilita muito a conversão em vendas e aumenta o retorno sobre o investimento.

2. Comunique-se por múltiplos canais (mas com cuidado para não errar)

Seja online ou offline, o perfil do novo consumidor é transversal quando se trata de comunicação. Assim sendo, ele pode entrar em contato pelo site, continuar a conversa por e-mail, falar nas redes sociais e ir à loja física, esperando que todos esses canais o satisfaçam. A comunicação ativa com o cliente deve explorar todos os canais que ele costuma utilizar, a fim de alcançá-lo.

No entanto, é preciso tomar o cuidado de não negligenciar as formas de contato. A velocidade do mundo contemporâneo é imensa, e os consumidores esperam isso das empresas. Portanto, a comunicação deve ser eficiente em todos os canais que pretende divulgar o produto. Uma comunicação cheia de ruídos atinge negativamente a experiência do usuário e arranha a imagem da marca.

3. Invista no Marketing de Experiência (além de outras formas de marketing)

Por fim, é preciso planejar e executar as campanhas de marketing, sejam as tradicionais ou as digitais, ou ainda uma complementação das duas. Uma das grandes tendências para a divulgação dos produtos, nesse sentido, é o Marketing de Experiência. Essa estratégia consiste em priorizar a experiência do usuário na forma como interage com a marca, utilizando as emoções geradas para engajar o consumidor com a divulgação do produto.

O marketing de experiência deve ser usado com outras estratégias de marketing para divulgar um produto de forma eficiente, tais como a produção de conteúdo, marketing de relacionamento ou inbound, marketing de influência, processos de automação de marketing etc. Quanto mais completa e estruturada uma campanha, melhor será a experiência do cliente e maior a conversão em vendas.

Para isso, o ideal é contar com quem tem expertise e conhecimento de mercado. Uma boa assessoria de Marketing ajuda a traçar planos melhores e mais eficazes para divulgar um produto com excelência.

Alcance seu cliente em diversas frentes, confira nosso artigo sobre quais são as mídias alternativas e como utilizá-las na comunicação offline!

Batendo metas: como montar e motivar uma equipe de vendas?

Batendo metas: como montar e motivar uma equipe de vendas?

Uma das habilidades essenciais de um bom gestor é saber como motivar uma equipe de vendas a atingir as metas e objetivos estabelecidos para o ano comercial.

Isso pode ser um verdadeiro desafio, já que é preciso lidar com pessoas de diferentes perfis de vendas alinhando todas com as metas da empresa.

Se você tem dúvidas sobre como motivar a sua equipe de vendedores, continue a leitura. Neste artigo vamos ensinar como criar o time comercial ideal para sua empresa e como mantê-lo com a motivação em alta para conseguir os melhores resultados. Vamos lá?

Como montar uma equipe de vendas de sucesso

Para ter um time comercial bem motivado, o trabalho começa bem antes dos funcionários começarem a trabalhar de fato. Isso porque o trabalho do gestor começa na montagem da equipe.

Se você já tiver seu time montado, não se preocupe: é possível avaliá-lo e realizar adaptações que que todos fiquem alinhados com os objetivos da empresas.

Mas como fazer isso? Vamos ver em 4 passos:

Definir o tamanho ideal do time

Estabelecer o número perfeito de vendedores no seu time pode ser difícil. Muitos fatores entram em jogo: tamanho do mercado, quantidade de concorrência, volume de produção que a empresa pode lidar e capacidade de contratação da companhia.

Analise sua capacidade de produção e distribuição, e perceba se está trabalhando ao máximo ou se há como produzir mais e como fazer o mercado absorver mais dos seus produtos. Se sim, então é uma boa ideia aumentar o seu time de vendedores.

Se sua empresa está começando agora, então é interessante investir em um número alto de profissionais comerciais para conquistar espaço no mercado e depois equalizar a situação.

Focar no recrutamento

O processo de recrutar bons vendedores para a sua empresa pode ser um pouco complicado e trabalhoso.

Muitos gestores preferem contratar mais rapidamente, apenas com uma entrevista, mas o ideal é fazer pelo menos 3 encontros (com uma dinâmica de grupo) para analisar com mais cuidado os candidatos e entender melhor como eles pensam, trabalham e interagem com as pessoas.

Quem contrata rápido demais acaba demitindo rápido demais e gerando muita rotatividade na equipe, o que diminui a motivação dos colaboradores.

Contratar diferentes tipos de vendedores

Nem todo profissional de vendas trabalha da mesma maneira. Existem aqueles que são apaixonados por buscar um novo cliente: gostam de prospectar, sentar para negociar com leads e trazer novos nomes para suas carteiras.

Por outro lado, existem vendedores que são especialistas em manter uma relação com os clientes que já trabalham com sua empresa.

O ideal é ter profissionais de todos os tipos na sua equipe, para manter a versatilidade e garantir que todas as oportunidades são exploradas ao máximo.

Oferecer as ferramentas necessárias para sua equipe

Para um time de vendas ter sucesso, ele precisará das ferramentas adequadas para a realização do seu trabalho. Isso inclui dois recursos imprescindíveis: a Jornada do Cliente e o Discurso de Vendas.

O primeiro é um mapa completo do caminho que o consumidor fará até adquirir um produto ou serviço da sua empresa, desde o momento em que ele se interessa pelo produto ou serviço que sua empresa tem pra oferecer até o pós-venda, passando por todos os pontos de contatos.

Já o Discurso de Vendas, reforça as vantagens competitivas da empresa, destacando seus diferenciais de mercado e o compromisso de entregar sempre o melhor serviço.

Como motivar uma equipe de vendas na sua empresa

Depois de ter sua equipe montada e equipada com as melhores ferramentas, é hora de trabalhar para manter a motivação em alta e alcançar grandes resultados para sua empresa.

Mas como fazer isso? Vamos descobrir!

Oferecer qualificação e treinamento constante

Todo profissional precisa de atualização contínua para realizar seu trabalho no topo das suas capacidades. Com sua equipe de vendas não é diferente.

Por isso, como gestor, é essencial que você procure por oportunidades para que seus colaboradores possam se aprimorar. O melhor lugar para isso são cursos, palestras e treinamentos onde eles aprenderão novas técnicas para aplicar no dia a dia.

Com esse conhecimento aprimorado virão mais vendas, o que fará muito bem para a confiança e autoestima dos vendedores, mantendo alta a motivação para resultados ainda melhores.

Definir metas coletivas e individuais

Um dos erros que muitas empresas cometem em relação aos seus times de vendas é colocar as metas individuais de cada vendedor acima das metas coletivas da companhia.

Isso faz com que os profissionais criem um sentimento de competitividade tão forte que passam a se ver como concorrentes e não aliados.

Assim, os vendedores viram rivais, trabalham sob o stress do conflito interno e não produzem o esperado.

O ideal é colocar as metas coletivas da empresa em primeiro lugar. Assim, cria-se a ideia de que todos ganham juntos e há colaboração entre o time.

Em relação às metas individuais, o melhor é traçá-las com base na produtividade de cada colaborador, incentivando-o a fazer mais ligações, mais abordagens e mais prospecções, o que levará a mais vendas.

Criar campanhas de incentivo

A prática comum no mercado atualmente é remunerar a equipe de vendas com um salário mais comissões de acordo com os negócios fechados pelos colaboradores.

Porém, uma boa forma de mantê-los motivados e sempre dispostos a atingir metas e objetivos maiores é com campanhas de incentivo atreladas às metas conquistadas.

Por exemplo, se o time de vendas conseguiu aumentar o faturamento da empresa em 25% como pretendido no começo do ano, todos os colaboradores podem ir para uma viagem de férias em um destino turístico.

Com premiações assim, os colaboradores se sentem motivados a atingir as metas determinadas pela empresa, sabendo que o seu sucesso não está atrelado à sua sobrevivência (pelo salário ou comissões), o que retira pressão e estresse.

Como deu para ver, saber como motivar uma equipe de vendas consiste em montar o time correto, dar ferramentas para que eles possam fazer o trabalho e então incentivar a colaboração entre eles e a produtividade para fazer a empresa crescer cada vez mais!

Se você quer mais formas de aumentar suas vendas, confira nosso artigo que mostra como uma boa estratégia pode trazer mais negócios fechados para sua empresa.

7 motivos que podem causar quedas nas vendas e como contorná-los

7 motivos que podem causar quedas nas vendas e como contorná-los

Um dos grandes pesadelos de qualquer gestor é notar uma queda nas vendas da sua empresa e não saber como lidar com isso.

O medo de ver as vendas diminuírem pode levar a uma série de ações impensadas e pouco eficientes, gerando um efeito bola de neve, que só piora a situação. Porém, com conhecimento e preparo, é possível aprender a como reverter esse cenário.

Para não sofrer com a queda nas vendas, conheça abaixo os principais erros que causam esse problema e saiba como contorná-los no seu negócio!

1. Não entender por que aconteceu a queda nas vendas

Já faz mais de 2.000 anos que o livro “A Arte da Guerra”, de Sun Tzu, ensina a importância de “conhecer a si mesmo e ao inimigo” para não temer o resultado de nenhuma batalha, mas muitos gestores ainda falham na primeira parte do ensinamento.

Uma empresa que não tem total controle sobre os procedimentos de venda e o caminho que seus consumidores fazem até se tornarem clientes, não conseguirá entender o porquê da diminuição de suas vendas.

A sua estratégia de marketing está desatualizada? Ou será que sua equipe de vendas está despreparada?

Sem uma análise completa da sua estratégia de comunicação e vendas, não dá para saber onde estão os gargalos do funil de vendas, que impedem o avanço dos consumidores nessa jornada.

A melhor maneira de fazer essa avaliação é por meio de um diagnóstico completo nos processos internos da empresa, capaz de perceber as oportunidades e lacunas que precisam ser preenchidas dentro da estratégia de vendas da companhia.

2. Não agregar valor aos produtos que a empresa vende

Quando as vendas caem, uma resposta comum de muitas empresas é baixar os preços dos seus produtos para tentar atrair os consumidores novamente. Porém, ao fazer isso, essas companhias acabam desvalorizando os próprios produtos, piorando a situação em que estão.

Um produto só é “caro” ou “barato” quando comparado com o valor que ele oferece ao consumidor. Pense nessa oportunidade, por exemplo: imagine que alguém lhe oferece um carro velho, descascado, com problemas na suspensão e sem rodas por R$ 15.000,00. Você compraria? Claro que não! Afinal, o veículo não vale tudo isso.

Porém, imagine que essa pessoa ofereça um esportivo de luxo de uma marca famosa pelo mesmo preço, R$ 15.000,00. Agora você compraria, não é mesmo? Claro que sim, pois um veículo desse custa mais de R$ 500.000,00 facilmente.

Com os produtos da sua empresa é a mesma coisa: eles podem custar R$ 5,00 ou R$ 5.000,00, o que determinará se os consumidores vão achar esse preço “caro” ou “barato” é o valor agregado ao objeto. Por isso, ao invés de baixar seus preços, bole uma estratégia de marketing e branding para agregar mais valor aos seus produtos.

3. Ter uma estratégia de marketing mal-executada

A estratégia de marketing da sua empresa trabalha com automação e também com a nutrição de leads? Se sua resposta for não, pode ser que esteja aí o seu problema com vendas — afinal, 79% dos leads gerados pelas empresas são desperdiçados por causa disso.

Nem todo lead gerado pela sua equipe de marketing está pronto para a abordagem do time de vendas. Às vezes é necessário nutri-lo primeiro para só depois contatá-lo. No entanto, não dá para fazer isso sem a ajuda de softwares e sistemas automatizados.

As estatísticas mostram que quem usa a automação de marketing gera 451% mais leads qualificadas. Por consequência, leads bem nutridos produzem 20% mais oportunidades de venda e gastam mais do que leads não-nutridos. Resultado: mais vendas e faturamento maior.

Se a sua estratégia de marketing ainda não contempla tudo isso, é hora de começar a pensar em otimizar o trabalho nessa área para colher melhores resultados.

4. Manter uma equipe de vendas sem estratégia

Um vendedor é sempre tão bom quanto a quantidade de ferramentas e estratégias do seu arsenal de vendas.

Sem flexibilidade e estratégia, o profissional pode perder oportunidades boas para fechar negócio ou mesmo ampliar as vendas da empresa, usando técnicas como o cross-sell ou up-sell.

Se você tiver em sua empresa uma equipe despreparada, fatalmente verá os resultados disso no baixo número de vendas geradas pelo time. Para corrigir esse problema, invista na especialização e no preparo dos seus vendedores via cursos e formações.

Além disso, estimule o desenvolvimento de estratégias para diferentes cenários e a criação de combos de vendas de cross-sell ou up-sell.

5. Não atualizar os processos internos da empresa

Uma das características básicas do mercado é que ele é mutável. Aquilo que funcionava perfeitamente bem há 5 anos, pode não gerar os mesmos resultados hoje, por exemplo.

No entanto, muitas empresas se seguram em técnicas e planos que deram certo uma vez, sem se atualizar ou acompanhar tendências do mercado, e nem mesmo a queda nas vendas consegue empurrá-las em direção à inovação.

Para obter sempre os melhores resultados, as empresas precisam de constante avaliação interna, analisando aquilo que funciona e o que não funciona mais para fazer as correções necessárias. Esse trabalho de otimização anda de mãos dadas com o diagnóstico mencionado anteriormente.

Afinal, se a empresa não conhece a si mesma, não saberá o que fazer para melhorar e vender mais.

6. Falhar em atender as necessidades do cliente

Uma venda é o processo onde um consumidor e uma empresa negociam a troca de um produto: o cliente precisa ter uma necessidade suprida e a companhia tem o objeto que resolve esse “problema”. Quando o produto da empresa falha em suprir a necessidade do consumidor, por consequência, ele para também de ser vendido.

Existem muitos motivos para isso acontecer. Um concorrente pode surgir com uma solução melhor, ou as pessoas podem mudar de necessidade, por exemplo. Um bom gestor precisa ficar atento às flutuações do mercado para entender se o seu produto falha em resolver as necessidades dos consumidores, e avaliar como mudar essa situação para gerar mais vendas.

É possível alcançar isso com um bom trabalho de pesquisas e monitoramento do mercado e das redes sociais.

7. Falhar na comunicação com os consumidores

Se a sua empresa fizer a tarefa direitinho e trabalhar de forma eficiente, com uma equipe de vendas preparada e um produto excelente, ela provavelmente gerará mais vendas. Se isso não acontecer, pode haver uma falha de comunicação com os consumidores.

A comunicação externa de uma empresa tem como um dos seus objetivos passar para o seu público as informações necessárias para que eles conheçam o produto oferecido e percebam o valor agregado da oferta.  Se a organização não consegue comunicar isso, fica difícil obter lucro.

Uma solução para esse problema é revisar o seu plano de marketing com uma consultoria e perceber onde estão as falhas da sua estratégia.

Como deu para ver, existem motivos variados que podem levar a queda nas vendas da sua empresa, mas é possível contornar essa situação com informações e análises para identificar os problemas, trabalhando para corrigi-los.

Se a sua empresa está passando por isso, pode ser um problema de comunicação como explicado. Para resolvê-lo, conheça 5 perguntas que todo gestor de marketing deve fazer a si mesmo e como usá-las para melhorar o seu trabalho!


Agora que você já sabe quais os motivos que podem estar causando a queda em suas vendas, solicite uma avaliação gratuita do seu negócio. para identificarmos em quais pontos podemos ajudar você a vender mais e aumentar seus lucros

6 ferramentas de gestão para ter mais controle sobre o negócio e o marketing

6 ferramentas de gestão para ter mais controle sobre o negócio e o marketing

Sem dúvidas, utilizar as ferramentas de gestão adequadas auxilia muito na tomada de decisões do dia a dia.

É incrível a otimização de tempo que o profissional alcança ao adotar métodos bem definidos para gerir os projetos do negócio e do marketing. Assim, o gestor terá oportunidade de direcionar esforços para outras áreas importantes da empresa.

Além disso, outro benefício em adotar esses instrumentos é que o monitoramento de resultado se torna mais eficaz. Isto é, fica muito mais simples avaliar o que deve ser aprimorado para gerar cada vez mais negócios. Afinal de contas, com uma administração eficiente dos processos internos as chances de obter um retorno satisfatório são ainda maiores.

Muitas empresas encerram suas atividades em virtude da má gestão, e para evitar que isso aconteça com você, compartilhamos, a seguir, algumas das melhores ferramentas para ter mais controle sobre a empresa e o marketing. Acompanhe!

1. Plano de negócio

Ter um planejamento organizado é um requisito básico para as empresas de sucesso.

O plano de negócio é um documento que tem como propósito reunir os maiores objetivos da organização e indicar os melhores caminhos para alcançá-los. Assim, a margem de erro diminui consideravelmente, pois o plano permite constatar, com clareza, os possíveis equívocos sem precisar cometê-los no mercado.

Além disso, é nesse planejamento que o plano de marketing baseado nos 4P’s será formulado. Sem falar que todas as informações sobre o financeiro do negócio também devem ser levantadas nesse momento. Ao final do plano de negócio deve ficar bem claro se, de fato, é lucrativo abrir, manter ou ampliar a empresa.

2. Análise SWOT

Muito utilizado, inclusive, no plano de negócio, esse instrumento de análise é simples, porém, valioso.

Seu objetivo é identificar os pontos fortes e fracos da empresa para torná-la ainda mais competitiva e eficiente. As forças e fraquezas estão relacionadas aos fatores internos da organização. Um exemplo disso pode ser a localização estratégica do negócio e mão de obra desqualificada.

Já as oportunidades e ameaças estão ligadas aos aspectos externos, como um aumento crescente na demanda pelos produtos oferecidos e mudanças na legislação que podem dificultar a atuação da empresa, por exemplo.

Dessa forma, é possível enxergar a realidade e perceber se existem mais fatores que favorecem ou ameaçam o andamento da organização. Sem falar que esse método elimina a possibilidade de levantar opiniões pessoais, uma vez que ele leva em consideração aspectos reais de mercado.

3. 5W2H

Essa ferramenta de gestão é muito eficiente para elaborar uma lista de ações a serem realizadas pelo negócio. Depois de realizar o planejamento é necessário estabelecer um checklist a ser executado pelos profissionais.

Utilizar esse recurso facilita a compreensão de todos os membros da equipe.

O mapeamento das atividades segue a seguinte ordem:

  • what? — o que (qual o nome do projeto);
  • why? — por quê (por quais motivos ele deve ser realizado);
  • where? — onde (em qual local será realizado);
  • when? — quando (prazo para execução);
  • who? — quem (responsáveis pela realização do projeto);
  • how? — como (quais métodos serão utilizados para realizá-lo);
  • how much? — quanto (custo envolvido na concretização).

Seguindo esses passos, todos os envolvidos no projeto terão condições de interpretar com simplicidade a parte que cabe a cada um e podem concentrar esforços no que realmente é necessário.

Certamente, aplicar o 5W2H evita possíveis ruídos que atrapalham a execução plena dos projetos

4. Canvas

O Canvas é utilizado para desenhar um modelo de negócio de forma simples e muito efetiva. É um mapa visual que contém as principais áreas do negócio, como a proposta de valor da empresa, principais fontes de receita, segmentos de clientes, dentre outras informações.

É uma ferramenta de gestão muito útil na criação de uma empresa. Também pode ser utilizada para analisar se o projeto atual está acontecendo conforme o planejado.

5. Matriz BCG

Essa ferramenta de gestão auxilia na definição da estratégia adotada pela empresa no fornecimento de produtos e serviços. Por meio de uma representação gráfica, dividida em quatro células, é possível constatar o tipo do negócio.

No primeiro quadrante do lado direito estão as interrogações, que são as empresas que operam em mercado de alto crescimento, mas que têm baixas participações relativas. Isso acontece quando um negócio tenta entrar em um mercado que já existe um líder.

No quadro do lado esquerdo, ainda na parte superior, temos as estrelas que representam o negócio interrogação que foi bem-sucedido. Em outras palavras, é um líder de mercado em alto crescimento. Nesse patamar é preciso investir um valor alto para se manter competitivo e sobreviver aos ataques dos concorrentes.

As vacas leiteiras situadas na parte inferior à esquerda, simbolizam as empresas com uma taxa de crescimento baixa, mas com uma participação de mercado ainda considerável. Já os abacaxis retratam negócios com taxa de crescimento reduzida e baixa participação.

Ao considerar o crescimento do mercado versus a participação do negócio, fica mais evidente se é preciso investir na expansão ou se é melhor ter cautela e se retirar do mercado.

6. Pesquisa de satisfação

Sabemos que conquistar clientes fiéis e dispostos a recomendar uma marca não é uma tarefa simples, mas é possível. A pesquisa de satisfação é uma excelente técnica para descobrir como melhorar a experiência do consumidor e conquistá-lo de uma vez por todas.

Uma das principais vantagens em ter defensores da marca é que essas pessoas não só indicam a marca para os seus amigos, como a defendem diante de comentários negativos.

É como se a empresa tivesse espalhado porta-vozes pelo mercado. Com isso, o negócio tem a sua marca ainda mais fortalecida e atrai mais e mais clientes.

De fato, todas as ferramentas de gestão mencionadas neste artigo contribuem bastante com seu negócio, contudo, é preciso definir indicadores de resultados. A avaliação constante é o que vai permitir que o negócio aprimore o que precisa ser melhorado e elimine o que não tem produzido um retorno satisfatório.

O refinamento frequente das ações possibilita que a empresa seja mais ágil nos ajustes necessários. Consequentemente, isso reflete nas vendas, pois essas modificações impactam a empresa como um todo.

Infelizmente boa parte das empresas negligencia a mensuração de resultados e desperdiça várias oportunidades de aperfeiçoamento. Além disso, alguns negócios perdem espaço no mercado, já que a concorrência está cada vez mais intensa e investe em acompanhamento permanente.

Portanto, não basta apenas saber da existência das melhores ferramentas de gestão para potencializar a sua empresa. É preciso praticar e constatar as possíveis adaptações que precisam ser realizadas para alcançar os objetivos do negócio.

Agora que você já conhece as principais ferramentas de gestão para alavancar o seu negócio, que tal colocá-las em prática? Sabemos que a execução exige conhecimento contínuo e, por isso, recomendamos que você assine a nossa newsletter e se mantenha atualizado para tomar as decisões mais importantes do negócio sem medo!

Transformação digital: as mídias off-line na ativação de estratégias on-line

Transformação digital: as mídias off-line na ativação de estratégias on-line

Cada dia mais a transformação digital nas empresas torna-se uma necessidade e deixa de ser apenas moda. Atualmente, uma empresa que não existe on-line é como se, de fato, não existisse off-line, e é ultrapassada pela concorrência com bastante facilidade.

As tecnologias digitais são importantes para uma empresa que quer se relacionar com o cliente, fazer negócios on-line, ou mesmo off-line, e se comunicar.

Neste artigo, vamos explicar mais sobre essa transformação digital e como você pode implementá-la em seu empreendimento. Confira!

Como funciona a transformação digital?

Esse é um processo utilizado por empresas para melhorar o desempenho, garantir resultados melhores e aumentar o alcance de influência. É uma mudança na estrutura das organizações que fornece um papel essencial para a tecnologia.

Essa mudança na estrutura das organizações é apontada como radical e pode levar a tecnologia a ter um papel estratégico central — e não somente uma presença considerada superficial.

Quais são as principais vantagens?

As principais vantagens que podemos citar são:

  • melhor experiência do cliente;
  • otimização da cadeia de processos;
  • auxílio na tomada de decisões estratégicas;

Como implementar?

Utilize QR Codes

QR codes são utilizados por diversas indústrias de revistas e propagandas para armazenar URL’s que serão direcionadas para um vídeo, site, hotsite, etc. Além disso, um QR code pode ser facilmente escaneado por celulares modernos.

Utilizar essa tecnologia em anúncios impressos e peças gráficas leva o consumidor até o site para obter mais informações ou para conseguir um desconto exclusivo.

Crie eventos presenciais

Uma ótima maneira de implementar uma mídia off-line na ativação de estratégias on-line é criar eventos presenciais — como workshops e feiras, por exemplo — e realizar a cobertura deles on-line, com fotos em tempo real e algumas transmissões ao vivo de momentos específicos dos eventos.

Incentive o uso das buscas no Google

Como já sabemos, o Google utiliza um mecanismo de ranqueamento baseado, principalmente, no conteúdo e nas palavras-chave para posicionar cada site em suas páginas.

Ao incentivar as buscas no Google, as chances de um cliente em potencial encontrar sua empresa são ainda maiores, e dentro do seu site ou blog ele pode tirar todas as dúvidas sobre seus serviços ou produtos.

Incentive o buzz marketing digital

Quando uma empresa conquista a confiança de seus clientes, é muito comum que ela seja comentada entre seus consumidores e até mesmo indicada para clientes em potencial pelos já clientes da rede.

Sendo assim, é muito importante tratar sempre bem seus clientes, oferecendo um bom atendimento e suporte, para que as pessoas possam ouvir sobre seu produto e pesquisar on-line a sua reputação e encontrar coisas boas a respeito da sua empresa.

Incentivar avaliações on-line da empresa e dos produtos

Sabe aquelas pesquisas de rua que as empresas costumavam fazer antigamente? Hoje em dia elas podem ser feitas de forma on-line — um serviço que poupará muito do seu tempo e disponibilidade. Nessas pesquisas, qualquer pessoa pode responder perguntas sobre a sua empresa ou, então, avaliar seus serviços e produtos com estrelas.

Essas avaliações são importantes para que outras pessoas saibam da sua reputação; mas, além disso, ao realizar uma pesquisa on-line, você pode conseguir dados importantes do seu cliente para aplicar estratégias do marketing digital como o e-mail, por exemplo.

​Quais são os maiores mitos da transformação digital?

Esse é um assunto voltado apenas para empresas de tecnologia

Acredita-se — e muito — que somente empresas que nasceram com um contexto digital, como e-commerces e SaaS, podem se beneficiar das tecnologias digitais. Porém, isso não passa de um mito!

Qualquer empresa, independente do seu segmento, pode adotar e combinar estratégias on e off-line.

Tudo se resume à experiência do cliente

Outro mito é acreditar que a transformação digital se resume em proporcionar a melhor experiência possível para o cliente. Isso é realmente importante, mas não é o suficiente.

Vale lembrar que a transformação digital deve estar espalhada por toda a empresa e não ficar focada somente na experiência do cliente.

A transformação vem de pequenas iniciativas

Em teoria, a ideia de que pequenas iniciativas dos colaboradores criem uma organização digital aos poucos parece fazer sentido. No entanto, não é dessa maneira que as coisas funcionam. Afinal, a transformação precisa vir do topo.

Uma mudança considerada tão grande necessita de liberdade e iniciativa dos líderes, em serem capazes de desenvolver programas de mudanças claros e implementá-los nas empresas.

O setor de TI é o responsável por realizar a transformação

O setor de TI, ou tecnologia da informação, precisa estar estruturado de forma sólida para garantir o nível de atuação que uma empresa digital demanda. Porém, isso não significa que a transformação seja sua responsabilidade.

O que acontece é uma aproximação entre os gestores e quem pretende colocar a tecnologia para funcionar, já que o setor de TI é apenas um dos envolvidos na transformação digital de qualquer companhia.

Dependendo da indústria, é possível esperar para ver

A necessidade de inovação é algo urgente e real em todo o mercado, e é possível que quem decidir esperar para ver o resultado, não goste do cenário que encontrará.

Um exemplo disso é o agronegócio, que antigamente atuava livre de processos tecnológicos e hoje é um dos setores que mais fazem uso da tecnologia para aperfeiçoar processos, prever dificuldades e obter melhores resultados.

Desenvolver várias iniciativas digitais é o suficiente

Esse pode ser considerado o maior engano dos tomadores de decisão e executivos de uma empresa. Pensar que desenvolver várias iniciativas digitais basta para uma boa tecnologia digital é acreditar que você já faz parte da transformação mesmo sem fazer.

O marketing de conteúdo, que vem sendo muito utilizado, é exemplo de um ótimo recurso — mas essa é uma estratégia que faz apenas parte da solução. Sendo assim, não caia na ilusão de que suas estratégias são a transformação em si.

Depois de ver como a transformação digital funciona e quais são as metodologias para implementá-la em sua empresa, o que acha de conversar com a sua equipe e repensar as estratégias que vocês têm tomado em relação à comunicação, negócios on-line e relacionamento com o cliente?

E aí, gostou do post? Aprenda mais sobre este universo em nosso artigo sobre branding a partir do marketing digital.