fbpx
Escolha uma Página
Como fazer um planejamento de comunicação para 2019?

Como fazer um planejamento de comunicação para 2019?

Chamamos de planejamento de comunicação as orientações básicas para que uma empresa aproveite as oportunidades de mercado, a fim de construir maior credibilidade e, claro, atrair novos clientes. É por meio desse tipo de planejamento que as empresas conseguem definir as melhores estratégias de investimento de divulgação e relacionamento.

Quer saber como fazer um planejamento de comunicação realmente eficaz para 2019? Então, acompanhe as dicas que listamos para você neste post e veja como elas podem fazer a diferença no seu negócio!

Defina previamente os objetivos e estratégias

O primeiro passo para um bom planejamento de comunicação é a definição dos objetivos e estratégias. São eles que norteiam todo o processo. O que a empresa está procurando? Maior visibilidade no mercado? Lançar um produto ou serviço? Conquistar maior fidelização de clientes? Ampliar sua fatia no mercado com a chegada de novos consumidores?

Essas respostas podem auxiliar na definição dos objetivos do seu negócio e, consequentemente, na avaliação das estratégias necessárias para alcançá-los.

Analise o seu mercado

A análise de mercado garante a visualização de informações preciosas a respeito do posicionamento da marca dentro do setor. Esse levantamento reúne dados precisos, como:

  • quem são seus concorrentes diretos e indiretos;
  • que linguagem eles utilizam na comunicação com clientes e divulgação;
  • em quais canais têm investido seus recursos;
  • o quanto eles investem em comunicação.

Por meio de um comparativo entre as boas práticas do mercado (benchmarking), é possível obter essas informações valiosas, a fim de retificar seus passos e iniciativas.

Defina os canais de comunicação

As formas de comunicação precisam estar bem alinhadas com a empresa de uma maneira geral. Vale dizer que elas precisam que sua identidade fale diretamente com o público-alvo. Por isso, é importante definir os seus canais de comunicação.

Pode ser que o seu público tenha preferência pelas mídias tradicionais, como a televisão e os jornais. Ou pode ser que sua audiência acesse muito mais a internet do que qualquer outra via comunicativa. Às vezes, os produtos e serviços também podem atrair públicos híbridos, de modo que se faz necessário definir mais de um canal de comunicação.

Ou seja, para que a comunicação seja efetiva e de fato atinja o público-alvo, sua marca precisa estar inserida nos canais de preferência do seu público. É fundamental conhecer bem o seu consumidor e saber sobre o comportamento deles para que a escolha de canais seja efetiva.

Elabore um orçamento no planejamento de comunicação

O orçamento tem ligação direta com as estratégias. Por exemplo, se as estratégias definidas tiverem base maior na comunicação via internet, é possível que os custos totais sejam mais acessíveis. Já os anúncios em mídias consideradas tradicionais, como televisão, rádio e todos os meios impressos, costumam ter um valor mais elevado.

Por isso que, além de definir os canais de comunicação, é importante saber como será feita a comunicação dentro deles. Isso facilita a elaboração do orçamento, sabendo-se quanto será preciso e quanto a empresa tem disponível para a veiculação dos anúncios.

Entretanto, eventos inesperados podem surgir. Por isso, vale a pena considerar um orçamento flexível.

Acompanhe a concorrência

Ficar de olho na concorrência também é fundamental para o seu planejamento de comunicação. O que os seus concorrentes diretos e indiretos estão fazendo no âmbito da comunicação? Como eles se comunicam com os clientes? Quais são seus erros e acertos? Com essas informações você consegue acompanhar o caminho menos propenso a erros.

É fundamental, além de elaborar um planejamento de comunicação eficaz, acompanhar os resultados com certa frequência. Só assim a empresa consegue perceber se as estratégias escolhidas estão dando certo para alcançar as metas e objetivos que foram traçados.

O que achou dessas dicas? Que tal agora saber sobre como investir em ações de marketing social e como isso pode ser importante para sua marca?


Solicite agora uma avaliação gratuita do seu negócio. para identificarmos em quais pontos podemos melhorar da sua comunicação e ajudar você a vender mais e aumentar seus lucros.

Veja o que são mídias alternativas e como usá-las na comunicação offline

Veja o que são mídias alternativas e como usá-las na comunicação offline

Com as facilidades que os avanços tecnológicos vêm garantindo ao acesso de informação, conectar-se com os clientes e chamar a atenção do seu público-alvo tornou-se uma tarefa que requer mais criatividade do que antigamente. Ou seja, como se diz, é preciso “pensar fora da caixa”.

Uma das novas apostas do setor de marketing, então, são as mídias alternativas. Você sabe do que se trata? Já ouviu falar nelas? Entenda mais a respeito desse recurso a partir da leitura deste post e tire todas as suas dúvidas!

Entenda o que são as mídias alternativas

Todos sabem muito bem os canais e propostas que se referem às mídias tradicionais. Jornais, televisão, rádio, revistas e, embora mais recente, pode-se inserir aí também a internet. Quais seriam então as chamadas mídias alternativas? Podemos dizer que são os espaços de veiculação de publicidade com diferentes abordagens, modelos e formatos, ou melhor, que reinventam algo que já existe.

Nesses casos, não existem fórmulas ou modelos entendidos como padrão. A ideia é chamar a atenção e impulsionar a visibilidade de um produto ou serviço. Atingindo o consumidor, de preferência ao acaso — ou seja, naturalmente. E isso é muito importante para fixar a marca na memória da audiência.

Descubra a importância de um bom planejamento de mídia

O bom planejamento é o que garante que as mídias alternativas sejam, de fato, bem utilizadas. O propósito é oferecer ao público-alvo algo que seu concorrente ainda não realizou, mas sua ação precisa ser muito bem pensada e organizada.

O planejamento garante que a mídia escolhida seja coerente com o conceito do que está sendo ofertado, no caso, sua marca, seu produto e/ou serviço. Para isso, também é fundamental conhecer o perfil de quem se quer atingir para que, de fato, dialogue com essas pessoas e as aproxime verdadeiramente da marca. O universo simbólico precisa de uma linguagem apropriada; e quanto mais personalizada for a mídia, mais se mostrará atraente.

É assim que o interesse é despertado e os relacionamentos com os clientes tornam-se mais próximos e humanizados.

Veja alguns exemplos de mídias alternativas e suas vantagens

Os exemplos são inúmeros, uma vez que compreendemos que “o céu é o limite” e que a criatividade (aliada ao bom planejamento) é o que comandará as mídias alternativas. Portanto, explicaremos algumas situações e suas vantagens por aqui.

Por exemplo, um adesivo fixado no chão, para ser visto assim que os usuários deixam uma escada rolante. É um momento de atenção ao plano baixo, e normalmente as pessoas tendem a observar onde pisarão em seguida. Portanto, pode ser ao mesmo tempo singular e conveniente veicular um anúncio naquele espaço. Ele pode ser interativo e sugerir as pisadas das pessoas como parte da ação de marketing.

Locais inusitados, como a catraca do metrô, o mobiliário de um banheiro público, as faixas de pedestres e até eventuais modificações nas embalagens mais tradicionais, como caixas e sacolas. Tudo isso pode absorver a proposta de chamar atenção para algo inovador, a ser divulgado em um espaço inusitado ou com o que as pessoas em geral não estão acostumadas a se deparar.

Uma das principais vantagens das mídias alternativas é o custo-benefício, que costuma ser mais enxuto. Isso significa que não seria preciso investir tão alto para conseguir boas ações diferenciadas de marketing.

As mídias alternativas tendem a ser vistas com mais simpatia, por se inserirem na vida das pessoas de forma mais natural. As pessoas observam com mais atenção e curiosidade. E é justamente isso que potencializa a marca anunciada.

O que achou de saber mais sobre esse tipo de mídia? Outras pessoas também podem curtir este post, então compartilhe-o em suas redes sociais!

Como a sua marca se comunica com os principais tipos de consumidores?

Como a sua marca se comunica com os principais tipos de consumidores?

Toda empresa tem como finalidade promover a satisfação das vontades e necessidades do seu público, o que tem como consequência o aumento das vendas e dos lucros. Para atingir esse objetivo é imprescindível conhecer a fundo os tipos de consumidores que se envolvem com seu negócio.

A análise dos perfis de consumo é crucial para entender o que o seu público consumidor pensa e quer e, assim, trabalhar para entregar exatamente aquilo que ele espera do seu serviço ou produto.

Mais do que elevar as vendas, conhecer os seus consumidores também contribui para fortalecer a relação com o público. Afinal, por meio das informações colhidas, o empreendimento pode desenvolver ações de comunicação personalizadas e com os gatilhos apropriados para cada perfil de consumidor.

Quer saber mais? Confira, abaixo, quais são os principais tipos de consumidores e como a sua empresa pode relacionar-se com eles da maneira certa!

Iniciador

É muito comum que uma compra seja iniciada a partir de uma sugestão. Nesse caso, a pessoa que sugere é chamada de consumidor iniciador, pois é quem traz à tona a ideia de comprar um produto ou serviço.

Dentro de uma família, o consumidor iniciador pode ser um adolescente que assiste o comercial de um novo celular na internet, por exemplo. Esse adolescente vai pedir o celular aos pais, dando início a um processo de compra.

Geralmente, essa é a primeira pessoa a identificar a necessidade de compra. Por isso, é importante que a empresa desenvolva ações de marketing que despertem nela a necessidade de comprar o seu produto, mostrando a ela como o item vai solucionar seus problemas.

Influenciador

Durante o processo de compra, o consumidor influenciador é aquele cujo ponto de vista exerce forte influência na decisão de fechar negócio. No exemplo citado anteriormente, esse papel poderia ser exercido por um especialista em tecnologia, um amigo, ou até mesmo a mãe ou o pai.

Os influenciadores costumam indicar marcas, melhores locais para compra e opções de preço. Em algum momento da vida, qualquer pessoa pode ser uma influenciadora, o que consiste em transmitir informações sobre um determinado produto.

Para se comunicar com esse tipo de consumidor, você deve oferecer o máximo de informações sobre o seu produto, falando sobre suas utilidades, benefícios, valores e os motivos pelo qual o seu empreendimento é o melhor lugar para comprá-lo.

Decisor

Trata-se de quem efetivamente toma a decisão de compra. Na situação que apresentamos aqui, o consumidor decisor seria um dos pais. É importante ressaltar que não necessariamente o detentor do recurso financeiro é quem vai dar o aval para a compra do celular.

Em uma família em que o pai trabalha fora e a mãe é responsável pela administração do lar, provavelmente é ela quem vai tomar a decisão final, avaliando se o filho realmente precisa de um novo celular ou não, bem como onde e como comprar, uma vez que está mais próxima dos aspectos relacionados à educação dos filhos.

O decisor precisa estar convencido da necessidade da compra para fechar o negócio. Portanto, mais uma vez, é necessário comunicar-se de forma clara, disponibilizando informações sobre o produto e o impacto positivo que ele pode causar na vida do usuário.

Comprador

Como o próprio nome indica, o comprador é aquele que faz a compra, seja indo até a loja física ou pela internet. Seguindo o nosso exemplo, o comprador poderia ser o pai que passa por uma loja de eletrônicos no caminho do trabalho, e está disposto a negociar as condições de pagamento do produto.

Se perceber que algo não condiz com as informações coletadas anteriormente, o comprador pode hesitar ou desistir da compra. Sendo assim, é preciso que a comunicação voltada para esse indivíduo seja mais contundente, prática e dê a segurança de que está fazendo um bom investimento.

Usuário

O usuário é quem consome ou usa o produto ou serviço comprado. Aqui, esse papel seria do adolescente que sugeriu a compra do celular. Apesar de não ter tomado a decisão de compra e nem ter dado o dinheiro para tal, esse personagem também requer muita atenção por parte da empresa, pois uma eventual insatisfação pode causar má impressão em todos os demais consumidores.

A comunicação direcionada ao usuário deve dar suporte para ajudá-lo a usufruir do produto, além de abastecê-lo com informações que melhorem a sua experiência.

Conhecer bem os tipos de consumidores e os papéis que exercem durante a jornada de compra é fundamental para planejar ações de marketing bem-sucedidas. Não adianta elaborar uma mensagem apelativa para o usuário final, se a mesma não fizer sentido para o comprador. O conhecimento desses personagens permite que você direcione a sua estratégia exatamente a quem deseja se comunicar, tornando-a mais eficiente.

Gostou desse post? Compartilhe-o nas redes sociais e mostre para os seus amigos a importância de conhecer os diferentes tipos de consumidores!

 

Como planejar o orçamento e fazer mais investimentos em publicidade?

Como planejar o orçamento e fazer mais investimentos em publicidade?

Todas as empresas, em algum momento, precisam fazer investimento em publicidade. É assim que elas podem ampliar os seus mercados e atingir mais pessoas interessadas nos serviços e produtos que ofertam. Entretanto, nem sempre mais resultados advêm de mais investimentos em publicidade.

O que queremos dizer é que investir de forma eficiente e nos canais adequados é a melhor solução para aumentar a visibilidade do negócio e obter o melhor ROI.

Investimentos em publicidade não devem ser considerados como gastos, porque são fundamentais para trazer melhores retornos para as organizações. Mas, fazê-los da forma correta é a única maneira de garantir que esses retornos virão.

Abaixo você verá algumas estratégias para auxiliá-lo a otimizar os investimentos em publicidade da sua marca. Coloque-as em prática o quanto antes e veja como elas têm a capacidade de fazê-lo gerir melhor os recursos de que dispõe.

Defina o objetivo dos seus investimentos em publicidade

Antes de começar com investimentos em publicidade é preciso definir que tipo de estratégia é a mais adequada para o seu negócio. Para isso, devemos inicialmente encontrar o seu objetivo com relação à publicidade e só então começar a traçar um plano.

Os objetivos de um investimento em promover um negócio podem ser muitos. Talvez você queira aumentar o reconhecimento da sua marca, caso no qual campanhas que dão destaque aos diferenciais da atuação profissional dela podem ser mais úteis do que anúncios de produto.

Ou, quem sabe, o seu objetivo seja mesmo vender mais, situação em que será preciso detectar por que você não tem lucrado como planejado.

Cada objetivo indicará um curso de ação específico que trará os melhores resultados para os seus investimentos em publicidade. Por esse exato motivo é que precisamos defini-los antes mesmo de começar a trabalhar em anúncios, promoções ou na presença de uma marca nas redes sociais.

Segmente bem seu público e entenda quais mídias ele consome

Agora que você já tem um objetivo em mãos, a tarefa mais importante é definir quem é seu público-alvo e como ele consome mídias e publicidade.

As pessoas mais jovens, por exemplo, são atingidas com mais facilidade por campanhas que investem fortemente nas redes sociais, enquanto os segmentos mais velhos da população podem dedicar sua confiança e tomar decisões de compra utilizando mídias tradicionais.

Conhecer com precisão a parcela do público que uma marca pretende atingir é, portanto, a melhor maneira de traçar uma estratégia realmente boa e otimizar investimentos em publicidade. Ela lhe ajudará a planejar bem o orçamento das suas campanhas e a não desperdiçar recursos, investindo em canais que seus potenciais consumidores não utilizam.

Utilize essa segmentação para identificar canais e mídias adequadas

Ao tomar conhecimento do público-alvo das suas operações deve ser feito um esforço no sentido de entender como esse público consome informação. Como citamos anteriormente, há alguns canais que são mais utilizados por determinadas parcelas da população. Da mesma forma, há atividades de promoção que funcionam melhor em cada caso.

O marketing de influenciadores é uma novidade que funciona com grandes resultados, mas pode ser empregado apenas por aquelas marcas que conseguem definir bem em quais situações seus clientes tomam decisões e quais aspectos eles levam em consideração nessa hora.

Simplesmente adquirir o serviço porque ele está “na moda” pode significar empenhar recursos em uma atividade de baixo retorno.

Estude seu público e descubra como ele consome mídias e quais delas podem fazer a maior diferença na hora de determinar com quais marcas ele gostaria de se relacionar. Em seguida, explore esses canais para entender como eles operam e que tipo de ferramentas disponibilizam para a promoção de um negócio.

Averigue os seus resultados anteriores para investir melhor

Você, provavelmente, já investiu em publicidade antes. E deve ter alguma noção dos retornos que essa publicidade trouxe para o empreendimento. É hora de consultar essas informações para conseguir obter um desempenho melhor.

Se houve um determinado canal, ação ou promoção que funcionou muito bem para a empresa, por que não explorá-lo novamente? Se os seus resultados foram muito mais acentuados com um determinado grupo, que tal defini-lo como central na sua próxima campanha?

É com indícios obtidos nos investimentos em publicidade anteriores que conseguimos determinar, com clareza, o que fazer no futuro. Utilize essas informações e, caso não as tenha, comece agora mesmo a documentar todos os seus esforços publicitários para que eles sirvam como inteligência no futuro.

Tenha um dinheiro extra para aproveitar oportunidades únicas

Em alguns casos, investir em publicidade é algo que não exige sair do seu orçamento inicial. Basta escolher uma estratégia, definir um orçamento e estabelecer quais iniciativas cabem nele e trazem o melhor ROI. Entretanto, quando falamos em otimizar resultados, é preciso sempre definir uma margem de erro e garantir uma reserva de dinheiro para aproveitá-la.

Ao longo de uma campanha online, por exemplo, é possível identificar que uma estratégia em particular está funcionando melhor do que todas as outras. Todavia, se todo o seu orçamento de publicidade estiver atrelado a um contrato com um anúncio que será publicado em revista ou uma parceria com outro negócio, poderá ser difícil se beneficiar dessa oportunidade.

Então, é uma boa ideia manter uma grana reservada para conseguir ter jogo de cintura na promoção do seu negócio. Se ela não for necessária, tudo bem. É sinal de que as outras etapas cumpridas até aqui o ajudaram a determinar com precisão o curso de ação mais adequado e você pode se concentrar, exclusivamente, no resultado das atividades que planejou.

Não extrapole a capacidade financeira do negócio

Por último, lembre-se que todo investimento de publicidade em um negócio deve estar atrelado a uma expectativa de retorno. Portanto, nunca pode interferir com o orçamento de outras áreas do empreendimento.

Se os seus esforços para promover o negócio atrapalham as operações, eles vão criar um gargalo lá na frente e colocá-lo em uma situação difícil de se resolver. Por isso, estabeleça um orçamento exclusivo para a publicidade e só invista quando puder garanti-lo.

Investimentos em publicidade devem, antes de tudo, ser planejados. Por isso, as dicas citadas aqui são tão valiosas. Elas vão garantir que cada centavo dedicado à promoção do seu negócio traga um retorno e sirva para aumentar os lucros do negócio, seja por meio do crescimento do ticket médio ou pela aquisição de novas fatias de mercado.

Contar com a ajuda de uma empresa especializada para realizar investimentos em publicidade também pode fazer toda a diferença. Empresas de comunicação dedicadas à essa tarefa têm a expertise e a equipe certa para certificar que os seus investimentos em publicidade serão mais próximos do ideal.

Gostou de entender como melhorar o seu planejamento e otimizar os investimentos em publicidade? Fale com um especialista na área para obter auxílio nessa tarefa. Entre em contato agora mesmo com a Mercatto Comunicação!

Conheça 6 indicadores de marketing que mostram como estão os resultados

Conheça 6 indicadores de marketing que mostram como estão os resultados

Sabemos que, para alcançar o sucesso com ações de divulgação, uma empresa precisa mensurar seus resultados constantemente. Contudo, diante de tantos indicadores de marketing disponíveis no mercado, fica complicado decidir quais métricas devem ser acompanhadas.

Afinal de contas, nem tudo que pode ser medido precisa ser mensurado — e muitas marcas erram feio apostando nas métricas de vaidade. Por esse motivo, é imprescindível definir quais serão os principais objetivos do negócio no plano de marketing e, só depois, estabelecer os indicadores mais apropriados.

Assim, ficará mais fácil constatar o que deve ser avaliado para extrair as melhores informações e utilizá-las nas tomadas de decisões. Acompanhe, a seguir, as 6 principais métricas de marketing que devem ser supervisionadas com frequência!

1. ROI (Retorno sobre o Investimento)

Em qualquer estratégia de marketing, o ROI é um dos indicadores mais importantes e merece total atenção. Afinal, é por meio dele que será possível identificar o resultado que cada ação trouxe para a empresa. Para calculá-lo,  a fórmula é a seguinte: (receita – investimento) / investimento.

Se o ROI em uma campanha no Facebook Ads for baixo, por exemplo, é importante rever a criação de anúncios nessa plataforma. Na revisão de sua estratégia, a empresa pode descobrir que, investindo no LinkedIn Ads, mesmo com um custo maior para anunciar, ela terá um retorno extraordinariamente maior, já que a rede atua no mercado B2B.

2. CAC (Custo de Aquisição por Cliente)

Outra ação muito importante para averiguar a saúde das ações de marketing é entender o quanto cada cliente novo tem custado para a companhia. Ou seja: é preciso saber, com clareza, qual investimento é necessário para conquistar um consumidor.

Todos os custos que envolvem o esforço necessário à captação de público devem ser considerados, como:

  • anúncios;
  • salários dos funcionários;
  • comissão da equipe de vendas;
  • material impresso etc.

Para descobrir o valor do CAC, é importante somar todas as despesas que envolvem a captação de um cliente e dividir o valor pelo número de novos clientes em um determinado período. É importante ressaltar que o tempo de vida que um consumidor tem na empresa influencia diretamente nesse resultado.

Quanto maior for o período em que se mantém, mais rápido ele “se paga”. Isso significa que é preciso avaliar se, normalmente, o cliente faz uma compra e vai embora ou se existe uma recorrência.

Para que seja realmente compensador, o ideal é que o tempo de vida do consumidor na empresa seja maior do que o CAC. Para encontrar o valor do tempo de vida de um cliente, basta multiplicar a média que ele gasta mensalmente pelo tempo que permanece na companhia.

3. Número de visitantes no site

É fato que apenas um site não é suficiente para gerar negócios na internet. E, por isso, a aquisição de tráfego deve ser monitorada constantemente.

O primeiro passo para gerar vendas na rede é ter uma audiência qualificada no site. Por essa razão, o Google Analytics é um excelente aliado para quantificar o número de visitantes que sua página tem recebido.

Quanto maior o volume de tráfego, maiores serão as chances de gerar leads e, consequentemente, vender mais. Ao constatar que o número de visitantes é cada vez maior, você terá um indicador de que as estratégias de atração de tráfego estão funcionando bem. No entanto, é preciso ir além.

O número de visitantes recorrentes é ainda mais importante, pois indica quantas dessas pessoas que entraram na página realmente decidiram voltar. Esse sim é um sinal de que os consumidores têm encontrado o que precisam e que a navegação é agradável e simplifica a busca por informações, por exemplo.

Além disso, procure observar quais são as ações realizadas pelos visitantes recorrentes. Caso a maior parte das pessoas se interesse por seu blog, os materiais produzidos certamente estão de acordo com a persona, ao passo que a estratégia de marketing de conteúdo está indo muito bem.

4. Quantidade de leads gerados

A geração de leads é muito importante, pois representa a oportunidade que a empresa tem de identificar seus potenciais clientes. Ao oferecer um material rico e receber o e-mail do consumidor em contrapartida, é possível se aproximar ainda mais dele e conhecê-lo melhor.

Uma quantidade grande de novos leads eleva as possibilidades de gerar conversões. Já um número baixo pode revelar problemas com a página de captura (landing page) ou, até mesmo, com a recompensa ofertada.

Muitas vezes, a marca cria materiais com base em sua opinião (e não naquilo que a persona valoriza). Consequentemente, ela acaba atraindo poucos leads e dificultando a conversão.

5. Total de conversões pelos leads gerados

Qualquer ação que a empresa deseja que o consumidor realize após se tornar um lead pode ser considerada uma conversão. Solicitar um orçamento, ler determinado conteúdo no blog ou comprar produtos são alguns dos exemplos.

Assim, observar qual passo as pessoas têm dado em direção à ação que a companhia definiu como objetivo é fundamental. Isso significa identificar, do total de leads gerados em uma determinada campanha, quantos desses indivíduos se tornaram clientes de fato.

Um retorno baixo pode ser resultado de leads ainda muito distantes da decisão de compra. E tal resultado indica que precisam ser educados por meio de conteúdos.

6. NPS (Net Promoter Score)

O erro que várias organizações cometem é avaliar apenas as métricas que correspondem ao momento da conquista dos clientes. Contudo, diagnosticar a possibilidade de alguém recomendar o negócio também é fundamental. A ideia é identificar o grau de satisfação dos consumidores atuais e a possibilidade de atrair novos por meio de indicações.

Uma probabilidade alta de NPS significa uma oportunidade extraordinária de formar promotores da marca. Mais do que receber indicações, ter um bom número implica em contar com pessoas dispostas a defender a empresa em qualquer circunstância.

Além disso, é possível constatar como melhorar as experiências nos diferentes pontos de contato, para que os clientes se transformem em verdadeiros defensores da marca.

Neste artigo, reunimos alguns dos principais indicadores de marketing que precisam ser monitorados de perto. Entretanto, a mensuração de resultados requer tempo e muito conhecimento — por isso, contratar um parceiro qualificado pode ajudar bastante na interpretação de dados e na tomada de decisões de forma mais efetiva.

Entre em contato conosco e veja quais soluções podemos oferecer para um negócio!

Como a comunicação pode aumentar os meus resultados?

Como a comunicação pode aumentar os meus resultados?

Para que a sua empresa se destaque e possa ter uma comunicação focada em aumentar os resultados, é preciso que as atividades dessa área deixem de ser apenas operacionais e se tornem estratégicas.

O recomendado é que a comunicação e o marketing da empresa tenham um planejamento, processo em que são analisados os ambientes macro, micro e interno da organização, com foco nos objetivos que a marca tem ao se comunicar com um determinado público-alvo.

Por meio desse estudo, são criadas estratégias de comunicação, que podem utilizar de diversos canais e meios para que a marca consiga uma boa reputação na comunidade em que atua, sobretudo pelo bom atendimento prestado aos seus clientes.

É importante ressaltar que o consumidor é omnichannel, ou seja, converte em todos os canais, e, por isso, é preciso que a comunicação esteja alinhada a diversos pontos e meios de contato com a marca, no online e no offline, possibilitando assim mais um caminho para o aumento de bons resultados.

Mas o que deve ser levado em consideração para aumentar os resultados com a comunicação em uma empresa? Para responder a essa pergunta, listamos uma série de tópicos, que serão explicados a seguir. Continue a leitura e acompanhe!

Disponibilidade dos canais

O investimento em comunicação para resultados precisa ter início na escolha dos canais corretos para que a marca esteja em contato com o público e vice-versa. Sendo assim, existem seis canais que são fundamentais e que nenhuma empresa pode deixar de estar presente.

Telefone

Por mais que a internet tenha se desenvolvido muito nos últimos anos, as ligações telefônicas não podem ser abandonadas pelas empresas, pois esse canal ainda é muito utilizado, sobretudo para a solução de dúvidas mais pontuais, como a solicitação de preços de um produto ou serviço.

Também é importante que as novas tecnologias para fazer chamadas de voz sejam realizadas, como as ligações por meio de ferramentas como o Skype, o Google Hangouts e o WhatsApp.

SMS

Sigla em inglês para Short Message Service, ou serviço de mensagens breves, se traduzido para o português, o SMS também é visto como uma ferramenta de comunicação fundamental para as empresas que buscam bons resultados.

Por meio desse serviço, é possível enviar lembretes, informar o status de entrega ou realização de um produto, enviar cupons de desconto, praticar o marketing de relacionamento etc.

E-mail

Estar sempre à disposição para atender às solicitações por e-mail é muito relevante para as empresas, pois nesse canal as pessoas podem esclarecer dúvidas, solicitar orçamentos etc.

Também é relevante a prática do e-mail marketing, com estratégias como o envio de newsletter com as informações e ofertas da marca, por exemplo.

Chat online

Estar sempre à disposição dos clientes é, hoje em dia, uma necessidade para as empresas. Por isso, incorporar um chat online no site da organização pode ser uma boa alternativa para ter uma comunicação com resultados.

O chat pode aparecer automaticamente para o cliente assim que ele acessa o site ou blog da marca e o atendimento deve ser feito via chatbots, para que a agilidade seja garantida.

Mensageiros eletrônicos

O Facebook Messenger, o WhatsApp e outros aplicativos para troca de mensagens devem fazer parte das estratégias de comunicação de uma empresa, sobretudo as que atendem diretamente ao público consumidor, como um comércio, por exemplo.

Redes sociais

As redes sociais não devem ser vistas como uma via de mão única, onde apenas a empresa publica informações que julga interessante para o seu público, mas sim um canal onde há a troca efetiva de informações.

Por isso, no Facebook, no Twitter, no Instagram ou em qualquer outra rede social na internet, a comunicação deve ser efetiva e instantânea.

Atendimento diferenciado e proativo

O atendimento em qualquer um dos canais citados no tópico anterior deve ser proativo e diferenciado. Isso quer dizer que você não deve apenas fazer mais do mesmo e oferecer ao seu público a mesma coisa que todos os seus concorrentes oferecem. É preciso ganhar pela proatividade e pela diferenciação.

Uma ideia interessante é coletar e mapear todos os feedbacks deixados pelos clientes nos canais de comunicação da marca. Críticas e sugestões devem ser sempre analisadas de forma criteriosa, de modo que as informações sirvam como base para a realização ou melhoria de ações estratégicas.

Clareza sobre a voz e identidade visual da empresa

É preciso que todos na empresa, desde a alta cúpula administrativa até os setores da linha operacional, tenham conhecimento sobre a cultura organizacional da marca, bem como as suas diretrizes, como missão, visão e valores em que acredita.

Assim, deve-se ter o entendimento de que tudo comunica. Um perfil nas redes sociais, o atendimento telefônico, o atendimento presencial a um cliente, o uniforme dos colaboradores, a fachada da empresa, um comercial na televisão ou no rádio, entre tantas outras ocasiões são consideradas formas de se comunicar.

Todo o atendimento nesses canais precisa ter um padrão, de modo que um post nas redes sociais não pode ser padronizado com um tipo de grafismo, adotar um determinado estilo de linguagem e, quando o cliente vai até a empresa, encontra outro método de abordagem. É preciso haver convergência de voz e identidade visual em todos os canais da marca.

Treinamento das equipes responsáveis em entregar valor ao cliente

Para que a comunicação da empresa atue de forma sinérgica em todos os canais, é fundamental que todos os colaboradores sejam treinados para isso e tenham conhecimento das diretrizes da empresa. Por isso, é necessário que sejam realizados treinamentos, como cursos, palestras e workshops com o público interno.

Somente assim, os funcionários terão conhecimento do seu papel na entrega de valor aos clientes, por meio da comunicação, independentemente do canal utilizado para isso.

Se você seguir as nossas dicas e orientações, temos a certeza de que conseguirá aumentar os resultados com estratégias de comunicação. Então, comece agora mesmo a colocar tudo o que aprendeu aqui em prática.

Quer continuar aprendendo sobre o assunto? Recomendamos então a leitura de nosso artigo “Branding: como estratégias eficientes ajudam a gerar mais resultados?”. Ele traz informações relevantes sobre como fazer a gestão de marcas.